A matemática das conexões no LinkedIn. E como ganhar com isso?

Quando pensamos em Linkedin e como usar a rede para alcançar objetivos profissionais, sejam eles: voltar ao mercado de trabalho; mudar de emprego; mudar de área de atuação; lançar uma marca; divulgar serviços e mais um bocado de oportunidades, temos que admitir que cuidar das conexões é um diferencial.

Esta semana, uma parceira me disse ter ouvido alguns comentários de pessoas que dizem terem conseguido pouco, ou quase nada, de resultado no Linkedin. O que é verdade. Por outro lado, conheço várias histórias de sucesso obtido pelo mesmo caminho; de pessoas que conseguiram dar um salto na carreira profissional.

Mas, o que difere uma história da outra? Por que alguns conseguem e outros não? Eu diria, com absoluta certeza, que a linha divisória passa pela questão das conexões. O Linkedin não faz mágica. Muito embora tenha como objetivo “concectar pessoas e torná-las mais produtivas e bem-sucedidas” esta rede social, assim como outras, tem como base uma programação que, por sua vez orienta o mecanismo de busca. As respostas deste mecanismo passam, fundamentalmente, pelas conexões.

E quanto maior o número de conexões, maiores as chances de que voce esteja conectado com alguém, que por sua vez está conectado com outro alguém que seja conexão de uma pessoa que atua no segmento no qual voce tem interesse ou que trabalhe na empresa a qual voce acabou de se candidatar a uma vaga.

Aff. Este parágrafo ficou meio confuso, não? Sugiro que assista ao vídeo que preparei com a 4º dica sobre como destacar seu perfil no Linkedin. Nele, explico mais profundamente a influência e a matemática das conexões na maior rede profissional da internet e como voce pode ganhar com isso.Espero que te ajude.

Obrigada pela leitura. Se achar que pode ajudar alguém, compartilhe este conteúdo com a sua rede de relacionamento.

Até a próxima. Luciane Borges

*texto originalmente publicado no meu perfil do LinkedIn

2 comments on “A matemática das conexões no LinkedIn. E como ganhar com isso?”

  1. rozilei santos disse:

    Engraçado este texto.. Digo curioso..estou tendo a matéria de desenolvmento e pessoal e profissional na faculdade este semestre,e algumas semanas tive uma prova que utilizou este termo 1+1=3 referindo-se a visão holística da teoria cartesiana!
    Bacana!
    Irei acompanhar com toda certeza o blog e suas publicações!

    1. Oi Rozilei. Super agradeço por seu comentário. Realmente, na visão holística podemos enxergar tudo de forma diferente e mais ampla. Abraços e obrigada por me acompanhar! Luciane Borges

Deixe seu comentário: