Rede Social. Seu futuro “Chefe” pode estar lá

Ao ler o artigo de Allison Farber Cheston, o qual reforça o ponto de que, gostando ou não, concordando ou não, é fundamental ter um perfil campeão no linkedIn, não pude deixar de pensar em como o mercado é dinâmico.

E ainda mais, como muitas pessoas ainda relutam em aderir ao dinamismo.

Bem, estamos falando de um número estratosférico de 433 milhões de perfis no mundo. Uma quantidade relevante de profissionais que estão buscando expandir suas conexões em um ambiente que só tende a crescer.

Com a marca de 25 milhões de perfis no Brasil, imagino eu que ainda há espaço para milhares e milhares de profissionais iniciarem sua jornada de relacionamento e geração de conhecimento na maior rede profissional da internet.

Não há como fugir. Seja você recém-formado, analista, especialista, profissional de média gerência ou executivo. Você tem que estar lá.

Desejos e crenças à parte, por meio de suas conexões voce pode ampliar rede de contatos, trocar experiências, estreitar relacionamento com profissionais de interesse comum, aprender, manter os olhos no mercado de trabalho e, sim, quem sabe conhecer seu próximo chefe.

Claro, quando falamos em “rede social” não estamos falando apenas de LinkedIn. Além do fenômeno Facebook, ainda temos Instagram, Pinterest, Periscope, Twitter…aff. Difícil acompanhar tudo. De toda forma, cada vez mais as plataformas estão interligadas, tendo seu conteúdo compartilhado massivamente, em alguns casos.

A internet é um organismo vivo, e parte da realidade diária de mais de 80% da população do Brasil é acessar às redes sociais. O consumo semanal do brasileiro atingiu 83%, enquanto a média global ficou em 65% (segundo dados da Convergência Digital).

Oras, com todo esse tanto de acesso, é muito provável que checar a presença digital de um candidato nas redes sociais faz parte da triagem que um recrutador realiza. E mais provável ainda que seu futuro chefe esteja presente nas redes e de alguma forma tenha possa visualizar o que tem postado por lá.

E como para estar desempregado basta estar empregado, fique atento. Costumo dizer que, antes de fazer alguma postagem:

  • coloque-se no lugar de seu chefe e pense se gostaria de ver aquilo
  • coloque-se no lugar de um recrutador e pense como aquela postagem seria classificada
  • coloque-se no lugar de alguém que esteja contratando e pense se contrataria você

As pessoas são livres e podem utilizar seus perfis nas redes sociais da maneira como bem entenderem, mas é inegável o fato de que isso deixa uma pegada digital, que pode ser benéfica ou não.

Até a próxima.

Deixe seu comentário: