Socorro. Grupos nas redes sociais. #Quero sair. #Não dou conta.

É grupo demais da conta nas redes sociais. No meu caso, com mais força no Facebook e Whatsapp . Grupo da família, das amigas loucas, das amigas normais, do pessoal do treino, de trabalho, dos voluntários da ONG, do grupo de profissionais XXX, grupo dos profissionais ZZZ, empreendedores…

Excelente instrumento para acelerar a comunicação nesse mundo cada vez mais corrido, sem dúvida alguma os GRUPOS chegaram de vez em nossas vidas. E como parte de tudo que é novo, tenho sentido que a falta de bom senso na hora de usá-los pode torná-los ineficientes e, de certa forma, um pouco irritantes.

Recentemente, fui convidada a participar de um grupo no Whatsapp para profissionais de determinada área de atuação e, por erro meu, aceitei logo de cara, sem ao menos perguntar quantos membros havia no grupo.

Ao final do primeiro dia me assustei, porque havia mais de 180 mensagens trocadas, dentre as quais diversos “kkkk”, “palmas”, “que legal” e “parabéns pelo aniversário de um dos participantes”. Imediatamente fui checar o número de participantes: mais de 200.

Me apropriando da matemática, se cada participante interagir com o grupo, são 200 mensagens ao dia e, levando-se em consideração que para cada um seriam gastos ao menos 4 segundos, beiramos 14 minutos desperdiçados somente para tentar acompanhar o que todos estão dizendo. Sem levar em consideração as conversas intercaladas, tempo para download de fotos e vídeos.

Ok. Quinze minutinhos por dia, acessando mensagens de um grupo, não mata ninguém. Me diga, sinceramente, se você participa somente de um grupo? Eu já confessei logo de cara que não!!.

E o pior. Alguns deles são relacionados ao trabalho, mesmo que seja voluntário. Me incomoda o fato de que deixo de acompanhar fatos e mensagens relevantes, porque as mesmas se perdem no meio de tantos acessórios: palmas, ok, beijos, emojis, kkkk, rsrsrs.

Chorei de rir quando assisti novamente ao vídeo abaixo. Aliás, foi a minha inspiração para escrever este artigo.

Não querer sair do grupo para não virar palta, tudo bem. Perfeitamente, aceitável. Mas vejo pouca necessidade de “florzinha, palmas e bem-vinda” para cada novo integrante do grupo, porque é exatamente isso o que está acontecendo neste exato momento em um grupo de colunistas que participo. Aos atuais 40 integrantes foram adicionados mais 2, os quais estão recebendo calorosas mensagens de boas-vindas!!

Hoje é segunda-feira. Dia nacional das mensagens motivadoras nos grupos das redes sociais. Participo de 10 grupos e se cada um lançar a derradeira “Bom dia…Boa semana”…, levando-se em consideração que o total de participantes de todos os grupos chega a 270. Cada um respondendo, serão 270 mensagens de bom dia!!!. Será mesmo que isso é necessário?.

Qual seria o impacto em termos de produtividade? Como isso afeta a marca pessoal?. Seria mesmo efetiva a comunicação em grupos?.

Nesta brilhante apresentação de Laura Vanderkam, no TED Talks, fica claro o quanto está em nossas mãos direcionar como nosso tempo será gasto e como ter controle sobre ele. Ela reforça o tempo consumido para a simples atividade de “checar e-mails”, ou “mensagens de grupo” – no caso!!

 

Meus colegas de grupos que me desculpem, mas não quero (e não posso) direcionar o meu tempo para ler conteúdos que, dizem pouco ou, para ser mais sincera, dizem nada.

O que fazer? Qual o ponto de equilíbrio?

Um coisa é certa, daqui pra frente, vou seguir minha regra número um, para participar de grupos nas redes sociais otimizando meu tempo e evitando irritação.

#1 – Entender a regra de cada grupo antes de participar, e ser muito politicamente- correta ao recusar, caso entenda que os objetivos destoam do meu foco.

Adicionalmente, relacionei as 6 principais gafes cometidas nos grupos das redes sociais:

#1– Por mais informal que seja, rede social também requer postura profissional. Não dá pra usar a mesma linguagem e termos que são usados com amigos e familiares.

#2 – Saiba diferenciar o que é individual ou coletivo – Grupo nas redes sociais são criados para assuntos coletivos. Se não for do interesse de, pelo menos, metade do grupo, mande uma mensagem direta no particular.

#3 – Os áudios – Rede social não é para ligação, por isso, é inconveniente só mandar áudios. Além disso, baixar esses arquivos consome franquia de dados.

#4 – Diga não ao emojis nos grupos – É carinha de feliz, de triste, de choro, imagem de mãos agradecendo… Lembre-se de que as letras existem para a comunicação e que você não tem idade de criança para só “falar” através de desenhos e rabiscos.

#5 – Frases picotadas – Frases e orações foram feitas para serem utilizadas na comunicação, portanto, seja objetivo num único parágrafo (confesso que faço isso também, mas vou adicionar aos novos hábitos).

Oi

Td Ben

?

*bem

Nada

de mandar

uma mensagem “picada”.

#6 – Mensagens fofinhas – Bom dia, boa semana, que o sol seja lindo..Tem gente que não percebe que isso só incomoda. E a situação piora se for enviada bem cedinho ou tarde da noite.

Enfim, são apenas alguns passos para otimizar a comunicação com um grupo maior de pessoas ao mesmo tempo, de forma efetiva, agregando valor.

Acho que se não atentarmos para isso, muito em breve, os mecanismos criados para facilitar nossas vidas se transformarão naqueles que atrapalham.

Fique super à vontade para sugerir outros gafes com o seu comentário. Ou até mesmo dividir dicas de como você gerencia estas questões.

Curta ou compartilhe este artigo com a sua rede.

Até a próxima.

Luciane Borges

Estrategista de Marca Pessoal nas Redes Sociais

2 comments on “Socorro. Grupos nas redes sociais. #Quero sair. #Não dou conta.”

  1. Carol Resende disse:

    Eu já evitei ser pauta, hoje evito o desperdício de tempo!!!! Adorei o texto!!

    1. Super agradeço por seu comentário Carol.

Deixe seu comentário: